estações

[inverno]

conduziste coercitivamente
meu coração pelo curso
de um transbordante lago
onde jamais repousaste os pés

***

[primavera]

naquela tarde em que ligou
fingi sono
deixei vibrar o celular sobre o seio
até te sentir me tocar por dentro

***

[outono]

achas que não sei que ainda olhas
escondido das câmeras de vigilância
minha caixa de correio
quase todo final de domingo?

***

[verão]

quem diz que
não se chora de amor
no trem pro méier, dezembro, três da tarde
não tem ideia do estrago