desgosto

Confundem-te por não teres a paixão de fevereiro
E, abusados, obrigam-te a seres dezembro
Que escolhas entre o calor de janeiro ou tenhas o ar da graça de maio
Acusam-te por não seres julho regresso
E reivindicam-te abris e outubros
De março não sobras nem mesmo a chuva
De setembro não transbordas o perfume
De junho não guardas a esperança de mais meio ano
Negam-te os braços por seres, novembros fora,
Agosto
Mês do oposto
Azar profundo
[nascer em mês de cachorro louco